Informe Publicitário para a Revista Veja (publicado em outubro/2011)

Buscar o equilíbrio entre mente e corpo é um grande desafio. Atividades físicas, dietas, terapias, tratamentos, tudo em busca do bem estar. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), ter saúde é um estado completo de bem estar físico, mental e social e não apenas ausência de doença.

Parques lotados são comuns em grandes cidades, logo nas primeiras horas da manhã, pessoas de todas as idades que procuram cuidar bem do corpo e ficar com a mente tranquila e até melhorar a rotina de trabalhos e afazeres. Cronômetro, garrafa d’água, boné, tênis, são alguns dos itens indispensáveis pra quem pratica exercícios.

A saúde e o bem-estar são fundamentais para o sucesso das práticas espirituais. Uma alimentação correta com dieta balanceada envolvendo frutas, cereais, legumes, carboidratos, proteínas e vitaminas proporcionam equilíbrio e vida saudável.

Porém, no Brasil, o sedentarismo é um problema que vem aumentando. Pesquisas da OMS indicam que aproximadamente 70% da população brasileira sofre de sedentarismo, índice mais alto que a obesidade, a hipertensão, o tabagismo, o diabetes e o colesterol alto. Mulheres, idosos, pessoas de nível socioeconômico mais baixo e indivíduos incapacitados estão mais sujeitos a ficar sedentários. Observou-se ainda que as pessoas reduzem gradativamente o nível de atividade física a partir da adolescência.

Profissionais tratam a atividade física como assunto de saúde pública. Para o professor de Educação Física, Thiago Dauzacker, praticar exercícios é uma das mudanças de estilo de vida mais eficazes para melhorar a qualidade de vida: “Cuidar do corpo é cuidar da saúde, além da questão estética, fazer atividade física alivia o stress, e aumentam a autoestima da pessoa”, afirmou.

Para Thiago, a prática regular de exercícios físicos geram benefícios que se manifestam sob todos os aspectos do organismo, “auxilia na melhora da força e do tônus muscular e da flexibilidade, fortalecimento dos ossos e das articulações, perda de peso, de gordura corporal, e até redução da pressão arterial”, disse.

Algumas pessoas também enfrentam o sedentarismo com outros fatores: falta de tempo livre, poder aquisitivo baixo, ou por não preferir uma rotina de exercícios. Para isso, a professora de Educação Física, Jackeline Medeiros, explica que é preciso nas academias, fazer uma triagem com os alunos, para identificar a melhor forma de se fazer uma rotina de exercícios: “na academia é preciso fazer uma entrevista com o aluno, descobrir hábitos, horários, preferências, para que ele não caia na rotina e venha a desistir do programa de exercícios”, declarou.
A atividade física pode também exercer efeitos no convívio social, tanto no ambiente de trabalho quanto no familiar.

Mente sã, corpo são

Qualidade de vida é o método usado pela OMS para medir as condições de vida de um ser humano. Envolve o bem físico, mental, psicológico e emocional, além de relacionamentos sociais, como família e amigos e também a saúde, educação, poder de compra e outras circunstâncias da vida. Não deve ser confundida com padrão de vida, uma medida que quantifica a qualidade e quantidade de bens e serviços disponíveis.

E pra ter essa “qualidade”, existem vários fatores que vão desde atividades físicas, alimentação, bem estar e até no clima. Segundo estudos da psicologia, no inverno, sem sol, o tempo costuma deixar as pessoas deprimidas, sem ânimo, e agora com a primavera, o sentimento de renovação de energias que tem relação com o sol e com a maior luminosidade da nova estação – ou seja, com o fim da estação mais fria e escura do ano. Consequentemente, as pessoas terão mais disposição para realizar tarefas, aumenta a autoestima, confiança, motivação, sensação de alegria e bem estar espiritual.

Estudos ainda sugerem o seguinte pensamento: Em um primeiro nível o bem-estar se desdobra em uma componente cognitiva chamada de satisfação com a vida e uma componente afetiva chamada felicidade; assim uma pessoa pode pensar ou saber que está bem, mas não se sentir bem.

E isso, depende da preparação espiritual do indivíduo, que independe de religião, idade, sexo ou posição social.

Vida melhor em qualquer idade

Com o corpo e a mente sãos, as pessoas caminham para seu futuro. Mas o que acontece hoje, é que a maioria só busca qualidade de vida depois dos 50 anos, quando as rotinas, trabalhos e família estiverem encaminhados. É nessa hora que muitos vovôs e vovós brasileiros começam a curtir a vida, viajar, fazer atividades esportivas, cuidar mais da saúde, ampliar as amizades, tudo que melhore a qualidade de vida e eleve a autoestima.

No Brasil, os idosos são hoje 14,5 milhões, que representam 8,6% da população total do país, segundo dados do IBGE do Censo de 2000, e mostram ainda que em 2025 o Brasil deverá ser o sexto país do mundo quanto ao número de idosos.

Atualmente, a expectativa de saúde na “melhor idade” tem aumentado no Brasil, pelo país afora são inúmeros projetos de atividades físicas, centros de convivências para idosos, e parques com academias ao ar livre.
Em Campo Grande, o Projeto Gostar de Viver, da Rede de Drogarias São Bento, há oito anos proporciona atividade física, alongamento recreação e aferição de pressão gratuita para idosos. O projeto acontece duas vezes por semana e realiza também acompanhamento semanal das condições físicas de cada participante.

Para Dona Otília, de 81 anos, participante do projeto, praticar atividade melhorou sua vida: “hoje, eu acordo muito mais disposta, não tenho dores musculares e consigo curtir a minha família”, disse.

Já Dona Ivone Mendonça, de 71 anos, que trabalha como doméstica pega três ônibus para o projeto, e garante que disposição, não falta: “acordo cedo, pego ônibus, e venho alegre para o projeto. Comecei aqui quando estava doente com depressão, tinha perdido minha mãe e meu filho, com as colegas, aprendi a dar valor à vida”, declarou.
Quem está na terceira idade atualmente tem uma postura bem mais crítica em relação ao mundo que o cerca do que as gerações anteriores. Educação avançada, consciência política, conhecimentos sobre várias áreas do saber e contato direto com tecnologia são algumas das vantagens que contribuem para esta massa crítica pós 60, que sabe muito bem o que quer.

Para o aposentado, Anastácio Brites, de 69 anos, os caminhos são inversos: “hoje, o idoso segue o caminho do jovem, se preocupa com a saúde, aparência, faz faculdade, sai com os amigos, os mais jovens é que devem seguir exemplo dos mais velhos, eu caminho 8 km por dia, não tenho barriga, e só não faço mais atividade porque tive aneurisma e não posso fazer esforço”, disse.

Já a empresária Vera Lúcia, empresária, de 60 anos, não vive sem fazer atividade física “há três anos, tive um problema no pé e só posso correr na areia, sinto diferença todos os dias, o corpo muda, tenho mais animo pra começar o dia, perdi peso, medidas, me sinto mais feliz, ainda encontro as amigas de areia, natureza, além de bem estar completo e equilíbrio”, afirmou.

Segundo a fisioterapeuta Flaviani Nardeli as possibilidades de atividades para terceira idade são muitas, desde yoga, pilates, alongamento, recreação, musculação, hidroterapia, caminhada, de exercitar-se na terceira idade, “o exercício faz bem em todas as idades, mas na velhice ele proporciona muitos benefícios que melhoram a saúde do corpo e da mente”.

Curtir a vida é mesmo o lema da Melhor Idade, e disposição é o que não falta para eles, que tomam todos os cuidados para prolongar a vida e consequentemente aumentar a expectativa de vida do brasileiro. Com todas essas possibilidades, eles deixam muitos jovens para trás e provam que realmente estão na Melhor Idade e na melhor fase da vida.

Aline Leque

crédito: Wagner Jean

crédito: Wagner Jean

crédito: Wagner Jean

crédito: Wagner Jean

crédito: Wagner Jean

crédito: Wagner Jean

Anúncios